Rua Batuira, 400 - B. Assunção

São Bernardo do Campo/SP

Rua Machado Bittencourt, 86

Metrô Santa Cruz - São Paulo/SP

(11) 5573-3402
(11) 4344-2222
MATRIZ - SBC/SP
AMBULATÓRIO SP
(11) 95062-5600
WHATSAPP

Para informações diversas

Segunda à Sexta das 09h às 16h.

Saúde Mental    Internação

A internação psiquiátrica é prestada ao público adulto e indicada para "casos graves" de pessoas com transtornos mentais e que esgotaram os recursos extra-hospitalares para o tratamento ou manejo do problema.

 

Neste momento, o indivíduo portador de transtorno mental necessita da internação hospitalar para que possa remitir os sintomas por meio de condutas terapêuticas com a finalidade de deixá-lo estável psiquicamente.

São considerados "casos graves" situações em que há presença de transtorno mental com no mínimo uma das seguintes condições:

  • Risco de auto-agressão;

  • Risco de heteroagressão;

  • Risco de agressão à ordem pública;

  • Risco de exposição social;

  • Incapacidade grave de auto-cuidado.

 

Quem pode ser internado?

Pacientes adultos, acima dos 18 anos, com transtornos mentais graves e desajuste psíquico no momento da avaliação psiquiátrica.

Encaminhamentos

  • Convênios

  • Empresas

  • Particulares

Objetivos Gerais

  • Centrar-se na estabilização do paciente: minimizando riscos, levantando necessidades psicossociais, ajustando o tratamento psicofarmacológico e a reinserção social do paciente em seu meio.
     

  • Integrar a família no tratamento.

Objetivos Específicos

  • Revisão do diagnóstico ou hipótese diagnóstica;

  • Ajuste medicamentoso;

  • Focar na adesão ao tratamento com o paciente e familiar;

  • Sensibilização para o combate ao estigma.

Metodologia

Agudos - Internação com locação apenas, no setor intensivo ou observação, por no máximo 72 horas.

Recuperação para Convívio Social - Metodologia complementar ao tratamento farmacológico, que beneficia concomitantemente, o portador da doença de transtorno psíquico e seus familiares. Visa instrumentar pacientes e familiares a compreender e lidar com a doença e suas consequências, e assim permitir melhor adesão ao tratamento e evitar períodos de crise e (re)hospitalizações.