MATRIZ - SBC/SP
(11) 4344-2222

Rua Batuira, 400 - B. Assunção

São Bernardo do Campo/SP

AMBULATÓRIO SP
(11) 5573-3402

Rua Machado Bittencourt, 86

Metrô Santa Cruz - São Paulo/SP

WHATSAPP
(11) 95062-5600

Para informações diversas

Segunda à Sexta das 09h às 16h.

Please reload

Posts Recentes

Setembro Amarelo: Guia de prevenção ao suicídio.

September 2, 2019

1/7
Please reload

Posts Em Destaque

SUICÍDIO: Falar é preciso!

September 21, 2017

 

Embora pouco se fale a respeito, o suicídio é mais comum do que se imagina em todo o mundo. No Brasil, é um problema que já se tornou de saúde pública com o registro de aproximadamente 9 mil suicídios por ano ou uma morte a cada hora. É importante saber que esses números têm aumentado significativamente, principalmente entre população jovem. Sendo a 3ª causa morte com idade entre 15 e 29 anos, sabendo que os transtornos psiquiátricos estão associados em quase 100% dos casos, mas não é o suficiente para o comportamento suicida.


O problema do suicídio é normalmente associado a fatores de doenças físicas, tais como câncer, epilepsia e AIDS ou fatores de doenças mentais como depressão, esquizofrenia, abuso de drogas e álcool, além das chamadas questões interpessoais, tais como violência sexual, abusos, violência doméstica e bullying. Além disso, uma pessoa que já tentou cometer o suicídio anteriormente tem maior risco de cometê-lo.


É possível prevenir quando falamos sobre o assunto, suicídio é uma questão de atenção, de cuidado com as pessoas e pode ser evitado em mais de 90% dos casos.


Cada suicídio ou tentativa provoca uma devastação emocional entre parentes e amigos, causando um impacto que pode perdurar por muitos anos.


O suicídio é algo que, em geral não pode ser previsto, mas existem alguns sinais indicadores de risco, e eles são:
- Alterações significativas na personalidade ou nos hábitos;
- Mudança no padrão usual de sono;
- Descuido com a aparência;
- Disforia (combinação de tristeza, irritabilidade e acessos de raiva);
- Comentários autodepreciativos recorrentes ou negativos e desesperançosos em relação ao futuro;
- Ideias de suicídio abertamente faladas;
- Tentativa anterior ou fantasias de suicídio,
- Preparação de um testamento ou doação de pertences que valorizava;
- Comentários sobre morte, sobre pessoas que morreram e interesse pelo assunto;
- Afastamento da família e de amigos;
- Luto pela perda de alguém próximo;
- História de suicídio na família;
- Perda de interesse por atividades de que gostava.


Pessoas que apresentem tais indicadores devem ser observadas mais atentamente. Entretanto não se pode ter certeza alguma a respeito, pois a ideia de morrer pode mudar na mente da pessoa, de um momento para outro.


Quando alguém estiver pensando em cometer suicídio é importante comunicar essa ideia para que outros possam ajudá-lo, pois quem está se sentindo tão mal a ponto de pensar que a morte é sua única saída, com certeza precisará de ajuda para sair dessa.


É muito importante buscar ajuda junto a profissionais especializados.


De acordo com a OMS, é possível prevenir 90% dos casos se houver condições de oferecer ajuda. E, diferentemente do que apregoa o senso comum, discutir o problema é uma boa estratégia para combatê-lo.

Please reload

Siga